Fundação everis apresenta finalistas do Prêmio Empreenda Saúde 2019!
terça-feira, 10 Setembro, 2019

Startups apresentarão suas soluções aos jurados no palco do Healthcare Innovation Show (HIS) – maior evento de Saúde da América Latina, que reúne os principais gestores nacionais para apresentar soluções tecnológicas inovadoras.

O Prêmio Empreenda Saúde 2019, criado pela fundação everis, para apoiar e promover o empreendedorismo na área de saúde por meio de atividades em diferentes esferas da sociedade, acaba de anunciar os seis projetos finalistas desta quinta edição, que recebeu mais de 170 projetos de todo o Brasil. 

As startups finalistas da premiação, que é apoiada pelo InovaHC, movimento que objetiva incentivar a inovação dentro e fora do Hospital das Clínicas (HCFMUSP), bem como de dois núcleos de inovação associados, InovaInCor e CITIC, farão uma apresentação de seus projetos no próximo dia 18 de setembro, no Healthcare Innovation Show (HIS), em São Paulo. 

Na ocasião, os gestores nacionais da área da saúde, que buscam soluções tecnológicas e inovações, poderão conhecer melhor as seis finalistas:

•  ARM (Assistive Rehabilitation Machine) – um robô portátil de reabilitação neurológica e ortopédica, que ajuda os médicos, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais a avaliar o progresso terapêutico dos pacientes que sofreram AVC (Acidente Vascular Cerebral) por meio de análises quantitativas de variáveis físicas, como força, velocidade e trajetória. Além disso, o robô estimula os pacientes a realizar movimentos funcionais associados a tarefas de Atividades de Vida Diárias (AVD) por meio de jogos virtuais com aspectos lúdicos, que contribuem de maneira significativa para a reabilitação de pacientes crônicos.

•  CleverCare – um sistema de gestão de saúde populacional com Inteligência Artificial, que tem planos de cuidado personalizáveis e escaláveis direcionados ao paciente. Permite que a pessoa interaja por meio de aplicativos de mensagens (SMS, Telegram, Whatsapp) com regras de cuidado personalizadas, conforme seu perfil, em uma linguagem natural, o que facilita sua adoção e uso. Adicionalmente, propicia aumento de eficiência operacional da avaliação do desfecho e gestão populacional, maior aderência ao tratamento e identificação precoce de fatores de risco e intercorrências. Utiliza programação neurolinguística (PNL) para interagir com a pessoa de forma fluida e personalizada e oferece feedback automático baseado em IA.

•  Dr. Wilson – uma plataforma móvel com Inteligência Artificial (IA) que produz texto e voz, idealizada em uma curadoria especializada em infectologia e prevenção de doenças tropicais. Seu objetivo é o combate e a prevenção de 20 doenças que, com base em estudos da Organização Mundial da Saúde, são as mais devastadoras da humanidade. Está disponível em cinco idiomas para todos os países do mundo, com adaptações locais de conteúdo. Surgiu no inovaBra habitat, espaço de coinovação do Bradesco, por meio de uma parceria entre uma pessoa física e duas startups lá incubadas. 

•  Mobile Feedback – um sensor de biofeedback portátil, que controla jogos em smartphones e gera informações para profissionais de saúde. Com dimensões pequenas, este sensor capta, por meio de três terminais conectados à pele, a atividade muscular da pessoa e produz um sinal que é transmitido via bluetooth para um aplicativo, que transforma os dados recebidos em um gráfico customizável, por intermédio do qual é possível ajustar a leitura da atividade muscular, para que esta possa se converter em comandos que controlam os jogos no smartphone. A velocidade e a dificuldade dos jogos são customizáveis para adequarem os desafios às capacidades dos pacientes. O sistema armazena todos os dados durante o uso do equipamento e produz gráficos que possibilitam o acompanhamento a evolução do tratamento.

•  Neurobots – um exoesqueleto controlado pelo cérebro capaz de recuperar pacientes de AVC, que não conseguem mais evoluir a partir de técnicas convencionais. Trata-se de uma prática mental, na qual o paciente se imagina como se estivesse movendo sua mão afetada, mesmo que não consiga movimentá-la. Desta forma, o sistema identifica o padrão cerebral e ativa o exoesqueleto que fecha e abre sua mão novamente para a execução de exercícios.

É comprovado que ao realizar este exercício por 40 minutos durante duas semanas é possível alterar conexões neurais de forma permanente, estruturando uma nova via neural, que auxilia na recuperação da mão.

•  Novo Stent Válvula Expansível de Poliuretano – uma nova prótese cardíaca (Stent Válvula), que pode ser implantada por cateter, sem necessidade de cirurgia convencional. É expansível para poder ser colocado, de modo programado, com balões de diâmetros crescentes em pacientes pediátricos, que estão em fase em crescimento. Diferencia-se por utilizar “cúspides de poliuretano”, um material que não sofre mineralização ou calcificação, o que evita sua substituição precoce. É fabricado em impressora 3D customizada, de acordo com a anatomia do paciente.

Estas iniciativas finalistas do Empreenda Saúde 2019, provenientes de todo o território nacional, concorrem nestas três categorias:

•    Melhoria da qualidade ou eficiência hospitalar – que promova o engajamento e a experiência do paciente dentro do ambiente hospitalar, bem como contribua para processos assistenciais e operacionais;

•    Orientação direta ao paciente - que inclua no ciclo de prevenção tratamento e monitoramento das condições de pessoas com algum tipo de enfermidade ou deficiência;

•    Impacto na rede de saúde - projetos com foco na saúde nos âmbitos de gestão, processos e inteligência.

“Felizmente, todos os anos os projetos apresentados se mostram cada vez mais inovadores e bem-estruturados, com a busca efetiva de soluções para problemas sérios que afetam os pacientes, as empresas de saúde e a rede de saúde como um todo. Isto reforça a importância da iniciativa da fundação everis para garantir o empreendedorismo e a inovação na área de saúde nacional”, afirma Roberto Celestino Pereira, gerente de Iniciativas de Inovação da everis.

Guilherme Rabello, membro do conselho executivo do InovaHC e gerente do InovaInCor, completa que a seleção das startups finalistas desse ano trouxe uma variedade de propostas interessantes para a saúde e para o benefício dos pacientes. ”Ver a crescente qualificação dos projetos participantes e o valor que se busca agregar na transformação da saúde, da segurança dos pacientes e na melhora de processos assistenciais é muito gratificante”, comemora Rabello.

O grande vencedor será anunciado no final de outubro, e receberá um prêmio equivalente a R$ 50 mil reais, além de orientação profissional especializada da everis

Este ano, o Empreenda Saúde terá uma novidade - o projeto vencedor representará o Brasil na everis Talent Week, na Espanha, evento no qual será anunciado o vencedor dos Prêmios everis Global, onde concorrerá com startups do mundo todo. A fundação everis cobrirá as despesas de viagem de um representante da startup vencedora. A escolha do ganhador ficará a cargo de uma comissão de avaliação e um corpo de jurados, compostos por membros renomados das áreas de ensino, pesquisa e inovação, e de empresários das mais diversas esferas da saúde no País.   

 
Acesse e confira mais detalhes sobre o Prêmio Empreenda Saúde no premioempreendasaude.com.br