Projeto de Pesquisa da everis BPO na área de Phygital é aprovado no 4º Ciclo de Análise do Programa FAPESP
sexta-feira, 27 Setembro, 2019

A empresa do grupo everis submeteu o projeto Phygital Experience Platform (PXP) e obteve uma linha de financiamento da FAPESP para realização de pesquisas de viabilidade, definição de ativos e protocolos e testes de funcionamento no everis Digital Lab  

A everis BPO, empresa do grupo everis, foi contemplada pela FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) em seu 4º Ciclo de Análise de Projetos com uma linha de financiamento. O objetivo da FAPESP é apoiar a realização de estudos de viabilidade da Phygital Experience Platform (PXP) por meio de recursos para a compra de equipamentos, contratação de pesquisadores bolsistas e realização de testes funcionais.

“Nossa ideia foi desenvolver uma plataforma que integre diferentes aplicativos na jornada do cliente nos espaços físicos. Com esta solução pretendemos reduzir a complexidade técnica, encapsulando os componentes técnicos mais complexos, o que nos permitirá focar no desenho das experiências” explica Eli Rodrigues, gerente de Digital Experience da everis Brasil, um dos consultores da everis BPO. 

Trata-se de um projeto de desenvolvimento de um meio sensorial capaz de imergir o cliente de uma agência bancária em um ambiente digitalizado, com base nos princípios de computação ubíqua, internet das coisas e interfaces tangíveis do usuário. A Phygital Experience Platform será uma solução de vanguarda, que integrará sensores, atuadores e aplicações no geral, utilizando conceitos de edge cloud computing.

“Fomos selecionados entre 44 projetos, devido à coerência da proposta diante das necessidades do mercado. Agora, temos R$ 200 mil de financiamento para a compra de equipamentos e para garantir dois pesquisadores totalmente dedicados a estudos sobre inteligência artificial e Internet das coisas aplicadas à plataforma Phygital, que visa oferecer experiências mais satisfatórias e qualitativas aos consumidores”, afirma Roberto Celestino Pereira, coordenador da everis BPO e gerente de iniciativas de Inovação da everis Brasil.

O financiamento da FAPESP será dado por nove meses, até maio de 2020 e, no mesmo período, a everis investirá mais R$ 800 mil para incubar o projeto da Phygital Experience Platform no everis Digital Lab, com a aquisição de tecnologias necessárias para viabilizar a ferramenta e em uma equipe de 10 especialistas, que farão as demais pesquisas - sendo oito pesquisadores, um coordenador e um facilitador.   

“Ao investir na efetivação da Phygital Experience Platform, nós queremos ressaltar a capacidade da everis de adiantar-se às expectativas e as tendências mercadológicas de setores como financeiro, telecomunicações, varejo e saúde, que podem se beneficiar desta iniciativa futuramente”, reforça Pereira. Segundo ele, o fato da everis ter o apoio da FAPESP é mais um acelerador do projeto, pois agora a equipe deve fazer relatórios mensais da evolução à instituição, o que torna fundamental conhecer melhor cada uma das tecnologias envolvidas, integrá-las e testá-las para disponibilizar ao mercado o mais rápido possível. 

Saiba mais sobre Projeto Phygital    
O Phygital, integração das tecnologias digitais aos espaços físicos, tem o objetivo de transformar lojas, agências, escritórios e indústrias em locais mais intuitivos, inteligentes e personalizados. Nesta nova dimensão da experiência, as interações do cliente passam a ser influenciadas pela fusão de sensores e atuadores automáticos, aproximando um pouco mais o ambiente físico da interatividade digital. Ou seja, jornadas inteligentes passam a considerar fluxos não-sequenciais, interações provenientes de outros canais e adaptações sem intervenção humana, levando em conta comportamentos implícitos. Para o consumidor, o Phygital pode aumentar a interatividade, a personalização e reduzir a fricção, enquanto para as empresas, melhora significativamente o entendimento do comportamento do consumidor, a redução de custos e o aumento do engajamento. 

Os objetivos específicos do projeto Phygital Experience Platform, apoiado pela FAPESP PIPE, são avaliar a viabilidade técnica da integração de sensores para a construção de imersivas aos clientes que visitem uma agência bancária. Será também investigado o uso de machine learning para a inferência de informações que criem jornadas mais intuitivas.

Como resultado esperado, uma vez integrada, a Phygital Experience Platform deverá reconhecer o cliente desde sua entrada na agência, oferecer-lhe atendimento diferenciado e personalizado já na recepção por meio de um agente virtual e pontos-chave, espalhados na sala de autoatendimento da agência, que funcionarão como interações Phygitais, enquanto o cliente aguarda o seu gerente. Simultaneamente, a Phygital Experience Platform deverá auxiliar o gerente a oferecer produtos e serviços baseados nas interações feitas pela pessoa durante sua jornada.