i-deals, do grupo everis, irá liderar um projeto europeu para gerar combustível ecológico a partir de emissões industriais
Terça, 07 Março, 2017

i-deals irá coordenar o projeto FReSMe, cujo objetivo é gerar combustível ecológico a partir das emissões de CO2 produzidas pela indústria siderúrgica. O resultado da iniciativa, financiada pela União Europeia com um orçamento de 11 milhões de euros, servirá para produzir um combustível alternativo, o metanol, que poderá ser utilizado no transporte marítimo ou misturado com combustíveis convencionais como a gasolina. O projeto inclui a demonstração do uso deste combustível num ferry comercial da Suécia.

O projeto foi concebido no âmbito do programa Horizonte 2020 da Comissão Europeia, que impulsiona a inovação nos países da União Europeia através de projetos que abrangem desde a investigação básica até aos desenvolvimentos mais próximos do mercado.

Fontes de energia limpas a partir de CO2 graças a FReSMe

O objetivo da RFeSMe passa por transformar o CO2 contido nas emissões da indústria do aço num combustível verde e renovável como o metanol, fortalecendo, desta forma, a competitividade dos produtores europeus e reduzindo a dependência da UE dos combustíveis fósseis.

Para levar a cabo o processo de transformação, a FReSMe irá aproveitar as tecnologias já desenvolvidas em dois projetos europeus prévios, STEPWISE e MefCO2. O primeiro centrado no desenvolvimento de novas tecnologias para a captura de CO2 e o segundo na síntese de metanol a partir de fontes de energia renovável.

i-deals irá liderar o consórcio europeu que levará a cabo a implementação desta tecnologia e que estará integrado por empresas, centros de investigação e universidades provenientes da Islândia, Suécia, Países Baixos, Eslovénia e Itália. Concretamente, em conjunto com i-deals da everis, os participantes no projeto são Energy research Centre of the Netherlands-ECN, Swerea Mefos, Carbon Recycling International,  National Institute of Chemistry Slovenia, SSAB EMEA, Stena Rederi, Kisuma Chemicals, Tata Steel, Array Industries e o Politécnico de Milão. O período previsto para a execução do projeto é de quatro anos.