LifeTag vence os everis Portugal Awards 2019
Quarta, 10 Julho, 2019

A startup LifeTag Diagnostics venceu os Prémios everis, recebendo desde já 20.000€ (metade em numerário e outra metade em serviços de consultoria), que a irão ajudar a preparar a candidatura aos Prémios Globais e fortalecer a ideia do projeto, que, nesta fase, consiste em desenvolver um marcador de diagnóstico da permeabilidade intestinal. A permeabilidade intestinal refere-se à propriedade das membranas do trato intestinal permitirem a passagem de diferentes macromoléculas. A permeabilidade intestinal pode ser alterada tanto por excesso como por defeito, estando na origem de várias patologias intestinais e sistémicas como a Doença inflamatória intestinal, Doença celíaca e diabetes. Esta tecnologia permitirá diagnosticar a patologia com mais precisão, de forma não evasiva e sem efeitos secundários, evitando a realização de cirurgias, o que reduz substancialmente o incómodo dos pacientes. A LifeTag é uma startup de base tecnológica, fundada em 2016, que se foca na investigação e desenvolvimento de tecnologias não-invasivas para diagnosticar doenças metabólicas altamente incidentes, como a diabetes, obesidade, síndrome metabólica, inflamação aguda e crónica, entre outras.

Os vencedores locais dos Prémios everis passam automaticamente a ser candidatos ao Prémio Global, que será atribuído em novembro, em Madrid, e têm direito a participar na everis talent week, um conjunto de conferências, seminários e eventos com investidores, dedicados à inovação e empreendedorismo, à margem da cerimónia de atribuição do Prémio Global. Nesta fase decide-se a atribuição de 70.000€ - 60.000€ em numerário e 10.000€ em serviços de mentoria - ao projeto vencedor, que é escolhido através da votação de um painel de jurados internacionais. Recorde-se que os Prémios everis se realizam há dezoito anos e que as candidaturas portuguesas dos últimos cinco já obtiveram o reconhecimento internacional, através de dois primeiros lugares e duas menções honrosas.

À semelhança das edições anteriores, os Prémios desde ano pretendiam selecionar o melhor projeto nacional a concurso, desta vez, nas áreas de “Novos Modelos de Negócio na Economia Digital”, “Tecnologias Industriais” e “Biotecnologia e Saúde”. Para se chegar à escolha do vencedor, o júri, composto por empreendedores, académicos e empresários, avaliou 81 candidaturas. Os critérios mais valorizados no processo de avaliação foram o nível de inovação, o modelo de negócio apresentado e a solução final do projeto.